6 de julho de 2009

Descobri a melhor forma de armazenamento e backup de fotos digitais que se enquadra mim

Tutorial fotografia digitalÉ muito comum a gente ir guardando as fotos digitais sem nenhum critério - pelo menos quando se inicia nessa área. Muitos softwares que acompanham as câmeras oferecem várias formas de organização, quer seja por datas, temas ou assuntos específicos. O problema é que na maioria das vezes nem damos muita atenção para essas organizações e vamos confiando na nossa memória.

Quando comecei a descarregar as fotos para o computador usava um método, que eu achava que iria me ajudar. Assim, utilizava o exemplo a seguir para criar pastas:
/12092008 - Rio de Janeiro - Praia - Ipanema - posto11 - amigos - surf
Os primeiros números representavam as datas, nesse caso 12 de setembro de 2008, e, em seguida, alguma informação principais sobre as fotos. E nessa pasta colocava todo o conteúdo do cartão, 100, 150, 200 fotos…Até aí tudo bem quando se está iniciando, mas com o tempo era preciso visualizar o nome de centenas de diretórios. Se eu sabia, por exemplo que tinha uma foto de um ipê roxo florido e quisesse buscá-la era um sufoco. Eu precisava lembrar primeiro onde havia tirado essa foto, depois por tentativa e erro lendo os diretórios um a um e fazer uma busca visual abrindo cada um deles.
Eu utilizo o novo Adobe Bridge CS4 para me ajudar nessas buscas, e, no meu caso, nem o software da Nikon achei muito amigável para essa tarefa. Para esse tutorial estou utilizando o Adobe Bridge CS3. Prosseguindo na nossa organização já vimos que inicialmente foram criadas pastas com datas. Vamos refinar essa organização por meses e ano, ficando como na imagem abaixo:


organizador de fotos
Essa organização por pastas é importante, mas mais importante ainda é definir como as nossas fotos poderão ser localizadas a qualquer tempo, claro, utilizando o Adobe Bridge CS3. O Adobe Bridge CS4 tem um recurso adicional, que é o Smart Collection, ou “Coleção Esperta”. Mas, vamos voltar ao CS3 onde nós trabalhar com “keywords”, ou palavras-chave para organizar nossas fotos. Vamos ver um conjunto de fotos e como definir as palavras chaves para essas fotos. Como exemplo eu vou utilizar uma sequência de fotos que tirei no Zoológico de Brasília.



Nas fotos temos cisnes, tigres, leões, macacos e outras. Vamos associar a esses tipos de animais uma keyword. Mantendo a tecla shift pressionada vamos marcar um tipo específico de foto, no caso o Cisne Negro. Depois de marcadas clique com o botão direito sobre alguma delas e escolha a opção “File Info”. Veja a imagem abaixo.


Na janela que se abre localize o campo “keyword” e vamos preencher com o nome que futuramente poderei precisar para localizar. No caso, preenchi como “cisne negro”.


Sucessivamente vamos separando e marcando com as keywords os difentes assuntos das fotos, no caso, tigre, leão, árvore florida, céu azul, pássaro na rua e outras. Pode parecer um trabalho tedioso, mas futuramente você irá se agradecer por ter perdido alguns minutos com essa tarefa. Vamos supor agora que todas essas fotos estão em uma pasta conforme já demonstramos inserida em outra com o título 2008. Para fazer a busca vamos mudar o workspace do Adobe Bridge. Vá em Window > Workspace > Metadata Focus ou simplesmente tecle simultaneamente Control + F4 (PC).


Modificado o layout do workspace localize na parte inferior esquerda uma janela com o nome Metadata. Nessa janela clique no pequeno ícone localizado na parte superior direita como na imagem abaixo e escolha a opção “Find” (localizar).


Vai se abrir uma nova janela onde será refinada ou escolhida como será nossa busca. Passo a passo vamos configurar essa busca
1- Em Look in você irá escolher a pasta do ano, por exemplo, onde queira localizar uma determinada foto.

2- Em Criteria use o menu drop dow e escolha a opção All Metadata

3- No menu drop dow do lado direito escolha Contains (contém)

4- No último campo defina a palavra chave. Em nosso exemplo cisne negro; note que existe um ícone “+”. Nele você poderá acrescentar mais de um critério. Você poderá querer localizar por exemplo cisne negro e leão.

5- Deixe marcado “Include All Subfolders”

6- Finalmente clique em “Find”


Dependendo da quantidade de imagens que existem nas pastas pode demorar um pouco, mas deixe o computador trabalhar. Talvez seja um bom momento para uma pausa para o café. Terminado o trabalho, voilá!!!!. Na janela central estarão todos as fotos marcadas com a keyword “cisne negro”.


A opção de escolha para keywords me parece a mais correta para buscas futuras, mas existem outras. Uma das mais complicadas no meu entendimento é a de renomear as fotos. Prefiro manter os nomes originais que são algo como DSC00293.nef e trabalhar com as keywords. A partir do momento em que você for se familiarizando com as buscas poderá encontrar outras formas que sejam adequadas às suas necessidades. No menu Find poderão ser localizadas várias opções além de Keywords.
BACKUP
Outro assunto que não poderia deixar de incluir na abordagem de uma estratégia de armazenamento de fotos digitais é o backup das fotos. Hoje nós não precisamos conservar imagens em papel e negativos, e sim apenas arquivos. Esses arquivos são a grande preciosidade a ser preservada.
Com o advento da fotografia digital é quase impossível que exista alguém que tenha poucas fotografias. Mesmo assim se for esse o seu caso, os arquivos poderão ser guardados em DVD´s e na nova mídia BluRay que pode chegar a 50 Gb com camada dupla. Guardar fotos não se trata apenas de investimento em novos periféricos: é uma questão de sobrevivência do seu trabalho e recordações. Qual seria, por exemplo, a sua reação depois de anos ao descobrir que as fotos de sua filha quando bebê e agora com 15 anos simplesmente estão inacessíveis em um DVD? A não ser que você tenha dinheiro suficiente para contratar um serviço de backup em uma empresa especializada, é muito bom começar a preservar as suas imagens.

Se você tem apenas um HD no seu sistema é simplesmente temerário manter as fotos guardadas nessa mídia. Acidentes ocorrem e quando acontecem é desesperador. A única coisa que resta é lamentar. Se tem um segundo HD para guardar seus arquivos importantes e fotos, menos pior, mas mesmo assim, ainda não é seguro. Com o barateamento do custo Megabytes/Capacidade uma boa opção são os HDs (drivers) externos plugados via USB.

Meu sistema está configurado para um HD externo específico para fotos digitais. Nada além do gerenciador de backups acessa esse disco normalmente. Existem HDs externos desde 160 GB até 1 Terabyte. É complicado indicar marcas, mas podemos dizer que a Seagate com seu Free Agent e Iomega tem obtido bons resultados de perfomance em publicações especializadas. Eu, particularmente apostei no Seagate Free Agent e não tenho tido problemas. Ele funciona como a principal interface para meus backups automático de fotos. Quando lota seus 500 Gb passo todo o conteúdo para outro HD externo que vai simplesmente para a prateleira devidamente etiquetado.

Espero que tenha gostado, compartilhe com seus amigos.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...